Cheias no Paquistão causam grave crise humanitária
Sexta, 20 Agosto 2010 15:07

As piores cheias da história do Paquistão causaram uma crise humanitária de enormes proporções. Iniciaram-se em finais de Julho e estima-se que afectaram até agora cerca de 20 milhões de pessoas. O número de mortos ascende para já a mais de 1.600 e 2.000 pessoas foram feridas. Quase meio milhão de pessoas foram evacuadas e as últimas avaliações estimam que mais de 4 milhões de pessoas ficaram desalojadas.
Há três semanas que as cheias das monções varreram Baluchistan, Punjab, Khyberpakhtunkhwa, Fata, Kashir, Gilgit, Baltistan e Sindh, causando inundações repentinas sem precedentes que submergiram casas, estradas, pontes, terras agrícolas e infra-estruturas públicas. O Crescente Vermelho Paquistanês continua a entregar bens de socorro e a conduzir avaliações nas áreas afectadas. A Equipa de Avaliação e Coordenação no Terreno (FACT) da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) está a trabalhar arduamente no local. Estes organismos encontram-se, com o apoio do Comité Internacional da Cruz Vermelha, a ajudar mais de 300.000 pessoas, número que se deve aproximar dos 900.000 nos próximos dias.
Contudo, o conhecimento da situação nas áreas afectadas indica o rápido crescendo das necessidades e um cada vez maior número de pessoas vulneráveis, especialmente porque algumas têm estado sem abrigo ou apoio consistente.
O actual apelo de emergência da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho é de 53.000.000 Euros. Assim, a Cruz Vermelha Portuguesa, no quadro do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, apelou à comunidade portuguesa para que apoie as vítimas das cheias no Paquistão, através do seu Fundo de Emergência.
Na sua terceira semana de cheias, o Paquistão começa agora a ter de lidar com uma catástrofe que privou milhões de pessoas das suas casas, posses e meios de subsistência. Enquanto as autoridades locais e as agências de ajuda humanitária continuam os seus esforços de socorro, as comunidades afectadas preparam-se para mais chuva, uma vez que as monções continuam.
As necessidades mais urgentes, até ao momento, são cuidados de saúde de emergência, medicamentos, tendas e abrigos, fornecimento de comida e água potável. As crianças são especialmente vulneráveis, em especial à propagação de epidemias. 3,5 milhões de crianças estão ameaçadas por doenças como malária, disenteria e cólera.
O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho planeia aumentar a sua resposta a esta catástrofe no Paquistão e apelou aos doadores internacionais para o apoio a um programa de recuperação que provavelmente se prolongará até 2012.

Os donativos para este apelo poderão ser efectuados através do Fundo de Emergência da Cruz Vermelha Portuguesa. Para saber como efectuar um donativo para este fundo, clique aqui.