Haiti: actualização sobre as operações humanitárias
Segunda, 18 Janeiro 2010 08:22

A Cruz Vermelha Portuguesa já enviou no total 250 mil Euros para as operações humanitárias que estão a ser conduzidas pela Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha/Crescente Vermelho no Haiti. Este valor traduz a extraordinária solidariedade dos portugueses que contribuíram em massa, desde o passado dia 13, para o Fundo de Emergência da Cruz Vermelha Portuguesa. A Cruz Vermelha Portuguesa agradece a todos os particulares, empresas, fundações, bancos, associações e outras entidades que não hesitaram em confiar no trabalho humanitário da Cruz Vermelha, contribuindo, assim, para a sobrevivência das pessoas afectadas pelo devastador terramoto que atingiu o Haiti.
Actualização sobre as operações: as necessidades aumentam o apelo de emergência
A Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha/Crescente Vermelho (FICV) aumentou o valor do apelo de emergência para o Haiti para 73 milhões de Euros de modo a assistir e socorrer as necessidades de 300.000 pessoas (60.000 famílias) durante um período de três anos. O apelo é baseado numa avaliação feita a 3 milhões de pessoas afectadas. Actualmente a cobertura do apelo é de 25%, incluindo donativos financeiros e em géneros. Este número não reflecte ainda os fundos angariados directamente pelas Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha.
Até à data, cerca de 400 trabalhadores da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho foram enviados para o Haiti, incluindo 180 trabalhadores e voluntários das Sociedades Nacionais da América do Sul e Caraíbas para prestar primeiros socorros, levar a cabo missões de buscas e salvamento, abastecimento de água e apoio sanitário.
Além disso, foram enviadas ainda 160 Unidades de Resposta a Emergência (ERU), equipas de avaliação e coordenação no terreno e 70 trabalhadores do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), incluindo 20 expatriados. As ERUs provêm de várias Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha de todo o mundo e incluem unidades básicas móveis de cuidados de saúde, unidades de água e saneamento, unidades logísticas, infra-estrutura informática e de telecomunicações, acampamento e abrigos e um hospital de rápida mobilização com capacidade cirúrgica. Desde o dia 16 de Janeiro, três destas ERUs estão operacionais, nomeadamente o hospital, o acampamento e o módulo de saneamento maciço.
Duas equipas de mobilização rápida do CICV dirigiram-se também ao Haiti, compostas por 20 especialistas em medicina, logística, enfermagem, informática e comunicações, medicina forense, água e saneamento, assistência e rastreio.
Os acampamentos de base servirão como sede temporária à Cruz Vermelha Haitiana, dado que os escritórios da Cruz Vermelha no país ficaram quase destruídos pelo terramoto.
Os voluntários da Cruz Vermelha estão a desempenhar um papel vital no salvamento de vidas, levando a cabo operações de busca e salvamento nas áreas mais afectadas pelo sismo. Contudo, a devastação causada pelo terramoto teve impacto em toda a sociedade haitiana.

Para obter informações sobre as formas de donativo para o Fundo de Emergência da Cruz Vermelha Portuguesa - "Apelo vítimas sismo Haiti" e assuntos relacionados, clique aqui.