Cruz Vermelha adopta ambicioso projecto para a próxima década

A 17ª Assembleia Geral da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) que decorreu entre os dias 18 e 21 de Novembro em Nairobi, Quénia, terminou com a adopção unânime da Estratégia 2020 – um plano que estabelece o compromisso colectivo dos seus 186 membros.

A Estratégia 2020 procura atingir todo o potencial da Cruz Vermelha e desenvolver abordagens sustentáveis para dar resposta em três áreas-chave: catástrofes, riscos de saúde e exclusão social. Sublinha ainda que para lidar com o aumento das necessidades humanitárias será necessária uma mudança de mentalidades e atitudes na forma como vivemos e nos relacionamos.

"Embora apreciemos o que alcançámos, estamos também conscientes dos desafios humanitários que surgem no horizonte", disse o Presidente da FICV Tadateru Konoé. "Esta estratégia reflecte o nosso compromisso de assegurar que estamos colectiva e individualmente posicionados para apoiar aqueles que mais precisam de nós, e prevenir, sempre que possível, o sofrimento e desespero. Em termos simples, através desta estratégia, procuramos mostrar que a Cruz Vermelha é um agente de esperança, paz e democracia."

A Assembleia Geral também adoptou a sua primeira política sobre migração. A contribuição de milhões de jovens do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho foi reconhecida como uma força dinamizadora e um agente de mudança. A Assembleia Geral comprometeu-se a promover eficazmente a participação dos jovens na liderança da Cruz Vermelha a nível nacional e global.