10 setembro, Dia Mundial dos Primeiros Socorros: Cruz Vermelha/Crescente Vermelho apelam para a formação em primeiros socorros das crianças em todo o mundo

No Dia Mundial dos Primeiros Socorros, 10 de Setembro, a Federação Internacional das Sociedades da  Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) apela à formação em primeiros socorros de todas as crianças e insta os Governos e Ministérios da Educação a tornarem obrigatória a formação em primeiros socorros nos currículos escolares.

"As crianças são particularmente susceptíveis a acidentes na sua vida quotidiana e encontram-se especialmente em risco em caso de emergências graves, como catástrofes naturais, conflitos e epidemias," refere a Princesa Charlene do Mónaco, Embaixadora da Boa Vontade da FICV em 2016 para os primeiros socorros. "Capacitar jovens como prestadores de primeiros socorros não irá apenas salvar vidas. Isso irá prepará-los para um futuro em que possam ser cidadãos activos e responsáveis nas suas comunidades locais".

Cerca de um milhão de crianças morrem anualmente fruto de lesões tratáveis e mais alguns milhões são hospitalizadas em consequência de acidentes como afogamento, acidentes de automóvel, quedas e queimaduras.

"As crianças são capazes de salvar a sua própria vida e de outros ao seu redor, se estiverem capacitadas com a formação em primeiros socorros," refere a Princesa Charlene do Mónaco, ex-nadadora olímpica da África do Sul e Presidente da Fundação Princesa Charlene do Mónaco, que visa salvar vidas prevenindo o afogamento.

A FICV também está a apelar às autoridades para garantir que os pais e outros adultos que estão em contacto regular e próximo com as crianças sejam formados em primeiros socorros.

"O nosso objetivo é garantir que as comunidades em todos os locais estão preparadas para reagir de forma eficaz em tempos de crise e prover tantas pessoas quanto possível com as competências que ajudam a salvar vidas, independentemente da sua idade", disse Elhadj As Sy, secretário-geral da FICV. "Sabemos que os espectadores são muitas vezes os primeiros a entrar em cena quando as emergências ocorrem e são a primeira ajuda fundamental na cadeia de salvar vidas e aliviar o sofrimento."

As Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho são os líderes em formação de primeiros socorros há mais de 100 anos. Mais de 46 milhões de pessoas por ano recebem desta organização assistência em primeiros socorros. Em 2014, 180.000 voluntários e colaboradores da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho em 116 países formaram 15 milhões de pessoas em primeiros socorros. Atualmente, 76 Sociedades Nacionais oferecem cursos de primeiros socorros concebidos especificamente para crianças.

"Acreditamos que pelo menos uma pessoa em cada casa em todo o mundo deve ter treino em primeiros socorros", disse Sy. "Quando as pessoas comuns sabem o que fazer em situações de emergência diárias e têm a confiança para usar as suas habilidades, estas tornam-se heróis diários."

A Cruz Vermelha Portuguesa é pioneira na formação em Socorrismo em Portugal e a sua oferta é diversificada, com certificação nacional e internacional, adaptadas às necessidades da população em geral e das empresas.

Teresa Cardoso, directora da Escola de Socorrismo da Cruz Vermelha, concorda com os objectivos da FICV e acrescenta “As crianças aprendem mais rapidamente durante os primeiros anos do que em qualquer outro momento da vida. Prover educação de primeiros socorros nestas idades vai contribuir para a construção da sua base de conhecimento com capacidades que podem ser recordadas mais tarde e quando for necessário, ajudando a salvar vidas.”

Para saber mais, visite www.ifrc.org/first-aid-day

Tema de 2016 e equadramento

O tema da Cruz Vermelha para o Dia Mundial dos Primeiros Socorros, celebrado no dia 10 de setembro, é "Primeiros Socorros para e por crianças".

Com o objectivo de promover a educação e a formação em primeiros socorros em todas as faixas etárias, particularmente naquelas que estão mais vulneráveis a riscos e acidentes, este ano, a Federação Internacional da Cruz Vermelha (FICV) coloca o foco nas crianças.

Os primeiros socorros são um acto humanitário que deve ser acessível a todos, em todos os lugares. A educação e formação em primeiros socorros devem estar disponíveis em locais onde pessoas de todas as idades e de todos os quadrantes tenham acesso para aprender – incluindo nas escolas, locais de trabalho, locais de formação de pais e programas de condução.

As lesões nas crianças são uma questão de saúde global. Em muitos países, as lesões são a principal causa de morte nas crianças com mais de um ano de idade.

A FICV salienta a importância de educar as crianças em primeiros socorros para que estejam bem preparadas para reagir com eficiência em situações de emergência.

Através do tema deste ano, a FICV pretende alcançar os seguintes objectivos:

  • Reconhecer as crianças como membros activos das suas comunidades, e as crianças entre os 3 e os 15 anos de idade como prestadores de primeiros socorros para os seus pares e famílias.
  • Destacar a importância da educação e formação em primeiros socorros para as crianças, como parte da construção de resiliência futura.
  • Reforçar a importância do ensino de primeiros socorros às crianças junto de adultos que estejam em contacto próximo com estas.

 

Factos e números

  • Em 2015, 26% da população global tinha menos de 15 anos. Em 2050, existirão mais de 10 mil milhões de pessoas, 2.6 mil milhões das quais com menos de 18 anos.
  • As crianças são particularmente susceptíveis a acidentes na sua vida diária. Todos os anos, cerca de 1 milhão de crianças morrem de lesões. Em muitos países, é a principal causa de morte de crianças após o seu primeiro ano de vida, e cada vez mais contribui para o total da sua taxa de mortalidade antes que atinjam a idade adulta. Dezenas de milhões mais necessitam de cuidados hospitalares para os ferimentos não-fatais. Muitos ficam com deficiências permanentes ou lesões cerebrais.
  • Todos os anos, cerca de 950.000 crianças com menos de 18 anos morrem como resultado de uma lesão ou violência. Quase 90% delas - cerca de 830.000 - são devido a lesões não intencionais. A maioria dessas lesões não intencionais são o resultado de acidentes de trânsito, afogamentos, queimaduras, quedas e envenenamento, com as maiores taxas ocorrendo em países de baixo e médio rendimento.
  • O afogamento está entre as 10 principais causas de morte de crianças e jovens em todas as regiões do mundo, com crianças com menos de 5 anos de idade em maior risco.
  • Os adultos que lidam com crianças devem estar capacitados para salvar vidas. Mais adultos formados em primeiros socorros irá aumentar a taxa de sobrevivência das crianças e diminuir a gravidade das lesões.
  • Os Governos devem tornar o ensino e formação em primeiros socorros obrigatório nas escolas para professores e alunos.
  • Crianças formadas em primeiros socorros têm um papel crucial nas situações de emergência, podendo prestar assistência aos seus pares, famílias e comunidade em geral.
  • A formação em primeiros socorros deve também estar disponível e facilmente acessível aos pais. Esta permitirá aos pais identificar os riscos e tomar as medidas apropriadas em situações de emergência e desastres.
  • Desta forma, educar as crianças em primeiros socorros contribui para uma sociedade mais saudável e resiliente, e inicia um processo de aprendizagem ao longo da vida.