Cruz Vermelha Portuguesa apoia vítimas do terramoto no Equador
Quarta, 20 Abril 2016 10:58
 fotoec2    fotoec4

No passado dia 16 de Abril um terramoto de magnitude 7.8 com epicentro na província de Esmeraldas abalou o Equador. Este sismo levou a que fosse acionado o alerta de tsunami e declarado o estado de emergência naquele que foi o pior sismo neste país desde há várias décadas.

Mais de 800 voluntários e colaboradores da Cruz Vermelha Equatoriana estão neste momento no terreno a responder às necessidades das comunidades afetadas com atividades de busca e salvamento, serviços de ambulância e primeiros socorros, distribuição de bens essenciais, apoio psicossocial e atividades de restabelecimento de laços familiares.

Solidária com os esforço da Cruz Vermelha Equatoriana no apoio às vítimas desta catástrofe, a Cruz Vermelha Portuguesa envia hoje para o Equador a coordenadora do serviço de Restabelecimento dos Laços Familiares (RLF) desta Instituição, que estará a trabalhar para o Comité Internacional da Cruz Vermelha nesta missão.

fotoec1     fotoec3

De acordo com as últimas informações dos relatórios da Coordenação de Gestão de Desastres do Equador, existem 413 vítimas mortais e 2658 feridos, estando 231 pessoas desaparecidas.

Da primeira avaliação no terreno, Manabi foi uma das regiões mais afetadas, com inúmeras estruturas destruídas em Portoviejo e Pedernales. Os acessos foram gravemente danificados, pontes caíram e várias estruturas energéticas foram afetadas.

“Este foi um dia terrível para a população do Equador. Os voluntários da Cruz Vermelha têm trabalhado 24 sobre 24 horas para encontrar sobreviventes. O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho tem-nos dado todo o apoio para que sejamos capazes de responder a este terrível desastre”, disse Walter Cotte, Diretor Regional das Américas da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.