Vírus Zika: Cruz Vermelha lança apelo mundial para responder a ameaça global
Sexta, 11 Março 2016 17:09
 zika pot  bucket-image  tires-graphic 

  

A Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) lançou um apelo global de 9.3 milhões de francos suíços (8.4 milhões de euros) para combater o surto de vírus Zika.
 
Embora focado principalmente em reforçar a resposta ao nível comunitário nas Américas, o recurso também vai apoiar a implementação de medidas de preparação e atividades em África, Ásia-Pacífico, Médio Oriente Norte de África e na Europa, coordenados por um grupo de trabalho de combate ao vírus Zika, com sede em Genebra.

O apelo irá permitir que as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha dos países afetados apoiem 1 milhão de pessoas durante 12 meses, em 10 áreas de intervenção prioritárias, incluindo a gestão de emergência da saúde em risco, preparação, vigilância baseada na comunidade, o envolvimento da comunidade e apoio psicossocial.

“A FICV está a intensificar as suas ações comunitárias de forma a controlar o avanço deste surto e de proteger a vida e meios de subsistência das pessoas” disse Walter Cotte, Diretor Regional para as Américas da FICV.

A diretora de Saúde da FICV, Dra. Julie Lyn Hall, disse “Através deste apelo global, a FICV poderá fazer a verdadeira diferença com os milhões de voluntários dedicados e as décadas de experiência de prevenção e resposta às chamadas doenças vetoriais, como a dengue e a febre chikungunya.

“Com o que aprendemos das recentes emergências de saúde pública como o surto de ébola, este apelo irá permitir-nos ser mais flexíveis na antecipação e resposta das necessidades, independentemente do local em que ocorrem. É provável que o vírus se propague para outros países e encontre caminho para outros continentes. Enquanto respondemos à emergência atual na América, preparamo-nos globalmente para o combater.”, Julie acrescentou.

O vírus Zika – que é transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, também responsável pela transmissão de dengue e da febre chikungunya – afeta todos os segmentos da sociedade, mas tem especial impacto nas comunidades mais vulneráveis e sem recursos. O atual surto de vírus Zika é alarmante dado o elevado número de casos, a velocidade de disseminação da doença e potencial associação com o aumento do número de nascimentos de bebés com microcefalia e síndroma de Guillain-Barre. O vírus está presente em 24 países do continente Americano.

“Se queremos travar a propagação do Zika, temos que agir agora.”, disse Walter Cotte. “O número de casos de dengue aumentou de 15 mil em 1960 para mais de 360 milhões hoje em dia e não podemos permitir que o mesmo aconteça com o vírus Zika. A acrescentar à ameaça que apresenta à saúde pública, as doenças denominadas vetoriais, como o Zika ou a dengue, têm um enorme impacto económico nos países afetados.”