Alerta: "É urgente rejuvenescer a população”
Terça, 08 Março 2016 15:41

Taxa de natalidade

  • 1960 - 24,1% por cada mil habitantes.
  • 2014 - 7,9% por cada mil habitantes; 82.367 nascimentos e 104.790 óbitos.

Índice sintético de fecundidade (n.º de filhos por mulher em idade fértil)

  • 1961 - 3,2.
  • 2014 - 1,23; idade média das mães no nascimento do primeiro filho entre os 30-34 anos.

Índice de envelhecimento (n.º de idosos que existem por cada 100 jovens)

  • 1961 - 27,5%.
  • 2014 - 138,6%.

Portugal continua a ter taxas de natalidade mais baixas da Europa.

Apesar dos dados de 2015 apontarem para um aumento da natalidade em Portugal (nos primeiros 8 meses de 2015 nasceram quase mais 6 bebés por dia do que em igual período do ano anterior), os números estão ainda longe do que seria desejável para garantir a renovação geracional.

A Cruz Vermelha Portuguesa defende que «é fundamental planear hoje para se obterem resultados no futuro. Há que inverter este grave declínio demográfico que passa pelo rejuvenescimento da população». Segundo estudos do Instituto Nacional de Estatística, para haver substituição de gerações é necessário que nasçam, em média, 2,1 filhos por cada mulher em idade fértil, implicando um aumento anual na ordem dos 50 mil nascimentos.

Face a esta situação, a Cruz Vermelha Portuguesa considera que a crise económica no país não explica tudo e que terá de haver uma mudança urgente ao nível dos padrões de vida dos portugueses com o objectivo de rejuvenescer a população.