"Portugal +Feliz" chega a 817 pessoas no último ano com apoio da Land Rover
Segunda, 16 Novembro 2015 10:13
 pf1    pf2

“PORTUGAL MAIS FELIZ” CHEGA A 817 PESSOAS NO ÚLTIMO ANO

PROJETO DA CRUZ VERMELHA PORTUGUESA, APOIADO PELA LAND ROVER, 

ESTIMA ALCANÇAR UM RETORNO SOCIAL OITO VEZES SUPERIOR AO VALOR INVESTIDO

  • A Land Rover associou-se, no ano passado, à Cruz Vermelha Portuguesa através do programa “Portugal Mais Feliz”, que apoia grupos sociais mais vulneráveis para uma melhoria da sua qualidade de vida e da sua inclusão económica e social.
  • Desde a atribuição do donativo da Land Rover ao programa, há cerca de um ano, a Cruz Vermelha Portuguesa conseguiu chegar a cerca de 820 pessoas.
  • O impacto social do projeto foi avaliado através da ferramenta SROI (Social Return on Investment), uma análise custo-benefício do Valor Social gerado pelo programa - em cada 1€ investido há um retorno de Valor Social de 8,09€.
  • Este projeto está integrado no acordo internacional “Reaching Vulnerable People Around The World”, entre a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e a Land Rover, como parte da Estratégia Global de Responsabilidade Social Corporativa da marca.

O programa “Portugal Mais Feliz” (PT+F) da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), financiado desde 2014 pela Land Rover, conseguiu apoiar 314 famílias, num total de 817 pessoas/beneficiários (416 mulheres, 401 homens, entre os quais 244 crianças e 69 idosos). Este projeto tem como objetivo dar apoio a famílias carenciadas e em situações de vulnerabilidade, especialmente as que têm pessoas desempregadas.

O Valor Social agregado (SROI - Social Return on Investment) criado pelo PT+F, de fevereiro de 2014 a maio 2017, tendo em conta os indicadores de todos os stakeholders e a partir de um investimento estimado em 341.750€, foi projetado em 2.763.567,68€. Assim, por cada 1€ investido são gerados 8,09€ de Valor Social.

Clique aqui para ver relatório SROI.

pf5   pf4    pf6

Para Luís Barbosa, presidente da CVP, “este financiamento que a Land Rover viabilizou foi crucial para a continuidade do “Portugal + Feliz” e, muito concretamente, para a operacionalização daquilo que é a nossa missão do Movimento Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho – o apoio aos mais vulneráveis.”

Luis Antonio Ruiz, presidente Jaguar Land Rover Ibéria, disse: “No ano passado, de forma a chegarmos mais longe, apresentámos um projeto para cada país. Em Portugal, o desemprego é, sem dúvida, um dos problemas mais prementes e, por isso, decidimos destinar o nosso apoio ao Portugal Mais Feliz, um projeto realmente eficaz, que chega às pessoas e as ajuda a recomeçar positivamente”. O presidente recordou que a Land Rover colabora, há já 60 anos, com a Cruz Vermelha em diversos projetos internacionais.

Já Cristina Louro, vice-presidente da CVP, afirma: “É possível perceber que estamos no bom caminho e que estamos muito claramente a produzir mudança e transformação positiva, a chegar a muitas famílias de forma sustentável e duradoura. Queremos fazer mais e melhor e, também por isso, foi tão importante a possibilidade de desenvolver este trabalho de auditoria.”

As principais atividades desenvolvidas pelo PT+F, através das mais de 60 delegações da CVP envolvidas, estão ligadas à formação e aprendizagem, assistência e apoio financeiro na aquisição de serviços de primeira necessidade (saúde, alimentação, água) e apoio jurídico, de gestão orçamental familiar e renegociação de dívidas. O foco está no desenvolvimento de trabalho de competências e na mudança de atitudes/comportamento das pessoas com vista ao seu empoderamento.

Avaliação do Retorno do Investimento Social  (SROI - Social Return On Investment)
O donativo da Land Rover, enquadrado no acordo internacional entre a marca britânica e a Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, contribuiu ainda para a avaliação do impacto social específico do PT+F através da Análise do Retorno do Investimento Social (SROI). O estudo foi realizado pela ‘4Change’, consultora especializada em gestão de impacto social, entre fevereiro de 2014 e maio de 2015. Esta metodologia atribui um valor monetário aos resultados do projeto para comparação com os recursos financeiros e não financeiros alocados ao projeto. Desta forma, é possível perceber, concretamente, os custos-benefícios do programa e apurar o Valor Social criado.

A auditoria apurou que os maiores impactos provocados pelo PT+F nos seus destinatários finais estão relacionados com a melhoria do seu bem-estar emocional (valor agregado de 350.855,30€) e com o aumento da sua sustentabilidade financeira (valor agregado de 321.300,00 €). É ainda possível quantificar que, através do donativo da Land Rover, 9 beneficiários integraram o mercado de trabalho; 64 famílias tornaram-se autossustentáveis; 134 pagaram as suas dívidas; e, no total, 817 beneficiários melhoraram a sua qualidade de vida/condições de saúde.

A partir da análise SROI foi ainda importante quantificar a duração destas mudanças, tendo as mesmas uma duração expectável de 1 a 2 anos. O sistema de monitorização implementado permite ainda a otimização das ferramentas utilizadas no programa, na procura permanentemente dos melhores resultados. Além disto, este estudo confere ao projeto mais credibilidade junto de possíveis apoios financeiros de empresas nacionais ou internacionais.

Vítor Simões, coordenador da auditoria 4Change ao PT+F, conclui: “A 4Change comprovou que o “Portugal Mais Feliz” vai além de respostas pontuais a situações de emergência e tem impacto social, ou seja, efeitos a médio e longo prazo na vida dos beneficiários, assim como na de outras partes interessadas."

Para saber mais sobre o projeto “Portugal Mais Feliz”, clique aqui.
Para conhecer melhor a 4change, consulte www.4change.org
Mais informação e imagens sobre a Land Rover em www.media.landrover.com


Sobre Social Return on Investment – SROI
Através da 4Change, foi realizado um relatório de Análise do Retorno do Investimento Social (SROI) sobre as atividades do Programa "Portugal Mais Feliz", da CVP. A análise estima ainda o impacto esperado até 2017, uma vez que a metodologia SROI não só pretende perceber os “custos-benefícios”, como compreender como é que a Mudança e o Valor Social são criados.

Para o SROI é atribuído um valor monetário aos resultados do projeto que é, posteriormente, comparados com o valor dos recursos financeiros e não financeiros necessários, sendo medido o valor das mais-valias/mudanças criadas pelo projeto, durante o período em referência, face aos custos e investimentos realizados. O apuramento deste rácio não só permite comunicar o Valor Social criado num determinado período de tempo, como também dar apoio aos gestores do projeto nas tomadas de decisão que podem melhorar e otimizar a criação de Valor Social.

Além dos impactos já referidos, na melhoria do bem-estar emocional e no aumento da sustentabilidade financeira, foram ainda apontadas seis mudanças positivas e uma negativa. Como aspeto negativo, foi identificada a ‘desmotivação dadas as elevadas/desajustadas expectativas em relação ao PT+F’. As mudanças positivas foram: melhoria das competências para a vida quotidiana; melhoria do bem-estar físico; melhoria do bem-estar emocional; melhoria das relações sociais e relacionamento interpessoal; melhoria das qualificações (escolares e profissionais) e aprendizagem ao longo da vida; melhoria da sustentabilidade financeira. Foi ainda quantificada a duração destas mudanças, tendo as mesmas uma duração expectável de 1 a 2 anos.

O SROI é apurado a partir do envolvimento dos stakeholders envolvidos no programa, de forma a ser considerado cada ponto de vista “único”. Estas pessoas e organizações foram envolvidas em diferentes fases do processo de auditoria e a quantificação dos resultados foi principalmente feita com recurso a questionários on-line e telefónicos.

Para mais informações, consultar o relatório completo de SROI do PT+F aqui.

Sobre o Programa “Portugal Mais Feliz” da Cruz Vermelha Portuguesa
O programa “Portugal Mais Feliz” (PT+F) da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) teve início em 2011 e pretende dar resposta à grave situação económica e de desemprego que o país atravessa, tendo já conseguido chegar a cerca de 5000 pessoas. Este surge como uma resposta pro-ativa, multifacetada e flexível ao desafio do combate à pobreza e à exclusão social.  É um projeto que está em linha com a missão da CVP e com os desafios lançados pela Federação Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho.

O objetivo do programa é trabalhar com as famílias, de forma integrada e personalizada, e encontrar diferentes soluções para os seus problemas e necessidades atuais. Através de uma equipa profissional multidisciplinar, o apoio do PT+F reflete-se em diferentes áreas, como a saúde, a situação financeira, o emprego, as competências pessoais e sociais e a integração escolar e/ou profissional. Pretende-se captar e promover as competências pessoais e sociais de cada família, viabilizando o acesso a recursos (materiais e imateriais) a que estas se encontram privadas.

Existem, essencialmente, dois perfis de intervenção que definem a atuação da rede PT+F junto destas famílias: 

  • Intervenção Social Integrada - intervenção social centrada na família, numa abordagem holística (integrada/global) dos seus problemas e constrangimentos, captando os seus recursos e capacitando-a para um processo de mudança;
  • Intervenções de emergência humanitária - ações de ajuda alimentar; distribuição de géneros, vestuário e outros que se entendam como necessários.

A partir das 65 delegações locais espalhadas pelo país com recursos para o efeito (pessoal técnico e recursos materiais e financeiros), o PT+F lança-se no desafio de trabalhar com as famílias de forma mais estruturante - A Intervenção Social por Medida e à Medida – e não num modelo “assistencialista”, isto é, “ensinar a pescar” em vez de “dar o peixe”. O trabalho é realizado em colaboração com várias entidades, privadas e públicas, que permitem uma visão mais integrada e articulada dos problemas e potenciam sinergias nas soluções propostas.

Desde o seu início que o programa se desenvolve apenas com recurso a fundos próprios, não tendo qualquer financiamento ou apoio estatal para o efeito. Desde 2011 que a sociedade civil e o setor empresarial têm acarinhado o programa, permitindo a angariação de recursos financeiros e também materiais.

Sobre Estratégia Global de Responsabilidade Social Corporativa da Land Rover - “Reaching Vulnerable People Around The World”
O programa “Portugal Mais Feliz” está integrado na iniciativa global “Reaching Vulnerable People Around The World”, um programa reconhecido e premiado, no qual todas as filiais da Land Rover espalhadas pelo mundo contribuem com donativos para iniciativas que visam melhorar as condições de salubridade aplicadas ao fornecimento de água potável, saúde pública e ajuda social, procurando auxiliar e preparar as mais diversas comunidades para eventuais desastres naturais. Com a renovação do acordo em 2014, o programa estende-se a outros mercados e permite o arranque de novas iniciativas, bem como a conclusão de outras em curso, como é o caso do acesso a água potável e ao saneamento público por parte de milhares de pessoas. Além do mais, esta renovação do acordo vai fazer com que a ajuda prestada chegue às comunidades mais vulneráveis e desprotegidas do planeta.

A Land Rover e a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, em resultado deste alargamento do acordo, vão trabalhar em países como o Reino Unido, Áustria, Holanda, Itália, Espanha e Portugal.