Dia Mundial dos Primeiros Socorros – 14 de Setembro
Sexta, 13 Setembro 2013 10:45

banner 400x120 world day pt

Desde o início da acção de Henry Dunant em Solferino, os Primeiros Socorros foram sempre a actividade principal do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho.

Em consonância com a Estratégia 2020, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) está empenhada em expandir os seus programas de primeiros socorros a fim de ajudar todas as Sociedades Nacionais espalhadas pelo mundo a estarem melhor preparadas para enfrentar desastres, mas também para enfrentar riscos diários.

A fim de sensibilizar a opinião pública para os primeiros socorros e a prevenção de lesões, a mensagem-chave para o Dia Mundial de Primeiros Socorros é a seguinte: "Somos todos mais ou menos vulneráveis, mas todos nós temos a capacidade de aprender e prestar primeiros socorros para salvar uma vida".

O tema para 2013: os Primeiros Socorros e a Segurança Rodoviária

De acordo com o Relatório Global sobre Segurança Rodoviária, publicado pela Organização Mundial de Saúde em 2013, aproximadamente 1,24 milhões de pessoas em todo o mundo morreram em 2010 em resultado de ferimentos resultantes de acidentes de viação. Isto representa em média quase 3.400 mortos a cada dia em todo o mundo. Para além destas mortes (um a cada trinta segundos!), estima-se que entre 20 milhões a 50 milhões de pessoas em todo o mundo fiquem feridas ou incapacitadas a cada ano.

Sem esforços redobrados e novas iniciativas, prevê-se que o número total de mortes e ferimentos associados em resultado de acidentes rodoviários em todo o mundo aumentem cerca de 65% entre 2000 e 2020, e em países de baixo e médio rendimento estima-se que as mortes aumentem até 80%.

Muitas destas mortes e lesões poderiam ser evitadas se as pessoas fossem treinadas em primeiros socorros e fossem capazes de fornecer uma resposta adequada/assistência rápida em caso de acidente de viação. Os primeiros socorros não são um substituto para os serviços de emergência; é um importante passo inicial para providenciar a acção rápida e eficaz que ajuda a reduzir ferimentos graves e melhorar as hipóteses de sobrevivência. Actuar de  imediato e aplicar as técnicas apropriadas, enquanto se aguarda por ajuda profissional, pode reduzir consideravelmente as mortes e lesões, bem como o impacto de longo prazo.

Mais de 50% das mortes em resultado de acidentes de viação ocorre nos primeiros minutos após o acidente (dados do estudo de Buylaert, 1999).

Apesar de existirem, de forma regular, campanhas para reduzir a ocorrência de acidentes rodoviários regulamentando os limites de velocidade, pouco se tem feito para sensibilizar o público para que possam ajudar a reduzir as mortes na estrada através da aplicação de primeiros socorros no local do acidente.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a cadeia de ajuda começa com aqueles que estão presentes ou que chegam imediatamente após um acidente de viação. Espectadores leigos podem desempenhar um papel importante de várias formas, incluindo:

  • Contactando os serviços de emergência e/ou ligando para outras formas de ajuda;
  • Ajudando a apagar qualquer incêndio;
  • Tomar medidas para tornar o local do acidente seguro (por exemplo, prevenindo outros acidentes, tornar a área segura para os socorristas e passantes, controlar o ajuntamento de pessoas).

A Segurança Rodoviária em todo o mundo

Existem grandes disparidades nas taxas de mortalidade em resultado de acidentes de viação em todas as regiões do mundo. O risco de morrer em consequência de um ferimento provocado por acidente de viação é mais elevado em África (24,1 por 100.000 habitantes) e mais baixo na Europa (10,3 por 100.000). Existe igualmente uma disparidade considerável nas taxas entre países localizados na mesma região.

Na Europa, os acidentes de viação provocam anualmente a morte de cerca de 93.000 pessoas. Tal número representa um declínio de 25% nos últimos três anos. Mas o fardo de ferimentos não mortais e de deficiência é elevado. Existem igualmente custos económicos significativos. Os acidentes rodoviários são ainda a primeira causa de morte entre as pessoas com idades entre os 5 e os 29 anos de idade. Os utilizadores da estrada mais vulneráveis como é o caso de pedestres, ciclistas e utilizadores de veículos motorizados de duas e três rodas representam 43% dos mortos em resultado de ferimentos provocados por acidente de viação. Os índices de mortalidade diferem muito de país para país.

O Dia Mundial dos Primeiros Socorros é uma oportunidade para aumentar a conscencialização sobre um acto destinado a salvar vidas.

A Cruz Vermelha Portuguesa é pioneira na formação em Socorrismo e a sua oferta é diversificada, com certificação nacional e internacional, adaptadas às necessidades da população em geral e das empresas.

  • Curso de Suporte Básico de Vida (4 horas)
  • Curso de Suporte Básico de Vida com Desfibrilhação Automática Externa (6 horas).
  • Curso Europeu de Primeiros Socorros (12 horas).
  • Curso de Socorrismo Pediátrico (15 horas).
  • Curso de Tripulantes de Ambulância de Transporte (50 horas).
  • Curso de Técnicos de Socorrismo de Proximidade (30 horas).
  • Curso de Recertificação de Tripulantes de Ambulância de Transporte (25 horas). 

Para informações sobre estes e outros cursos, contacte directamente a Escola de Socorrismo da Cruz Vermelha Portuguesa ou aceda ao site desta escola.