Voluntariado da Cruz Vermelha valorizado por Berta Cabral
Quinta, 04 Julho 2013 16:22
bertacabralvisitacvp   

A Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional destacou, esta quinta-feira, o “valor do voluntariado e do que ele representa em termos de humanismo e de dádiva”, acrescentando que, naturalmente, “as pessoas têm de sentir que é pessoalmente gratificante participar” em projetos como o da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP).

Berta Cabral acabava de fazer uma visita ao Hospital, ao Lar Militar e à sede nacional desta “instituição de referência” e dirigia-se ao presidente Luís Barbosa e a outros altos responsáveis da CVP para realçar ser “mérito das pessoas e não das infraestruturas” a excelência alcançada em algumas atividades, como é exemplo a unidade hospitalar, em Benfica.

A visita começou precisamente pelo Hospital da Cruz Vermelha, onde os administradores Teresa Cota Dias e Borges Castro e o diretor clínico Manuel Pedro Magalhães apresentaram as instalações com alguma tecnologia de ponta e explicaram o funcionamento pioneiro do hospital, numa lógica organizativa por áreas de intervenção, que tem permitido índices de produtividade por cirurgião muito acima dos alcançados nas restantes unidades de saúde do país, organizadas por especialidades médicas.

O Lar Militar é uma unidade em processo de remodelação que estará disponível para auxiliar a reabilitação física e também sócio-profissional, indo além da missão inicial de se dedicar apenas aos deficientes das Forças Armadas. Inclui uma oficina de próteses e um serviço de apoio à adaptação das residências habituais dos utentes às suas novas necessidades.

Na sede nacional da CVP, no Palácio Conde de Óbidos, também em Lisboa, a Secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional recebeu informação detalhada sobre o funcionamento da Coordenação Nacional para a Emergência, incluindo o apoio prestado à Linha Nacional de Emergência Social – Linha 144, uma resposta imediata e permanente a situações de violência doméstica, menores em perigo, ausência/perda de autonomia, desalojamento, mendicidade e sem abrigo. Berta Cabral acompanhou durante alguns instantes a ação do serviço inovador de Teleassistência.

A Cruz Vermelha Portuguesa é uma instituição humanitária de utilidade pública com 148 anos, que existe para defender a paz, garantir o respeito pela dignidade da pessoa humana, menorizar os efeitos da guerra e promover a vida e a saúde. Pertence ao Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e está em cerca de 180 países. 

(Notícia publicada no site do Ministério da Defesa Nacional a 27-06-2013 em http://www.defesa.pt/Paginas/seadncvp.aspx )