Sul do Sudão: Sociedade Nacional da Cruz Vermelha formalmente reconhecida
Segunda, 24 Junho 2013 11:51

O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) reconheceu formalmente a Sociedade da Cruz Vermelha do Sul do Sudão a 18 de Junho, tornando-a a 189ª Sociedade Nacional da Cruz Vermelha ou Crescente Vermelho no mundo e parte do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. Este acontecimento dá-se exactamente dois anos após o Sul do Sudão se tornar um Estado independente.

"O reconhecimento do Sul do Sudão é um marco para o Movimento” disse Philip Spoerri, director para o direito internacional e cooperação do CICV. "Temos o prazer de receber esta nova Sociedade Nacional e estamos confiantes de que irá desempenhar a missão do Movimento, que é prevenir e aliviar o sofrimento humano sob qualquer forma.”

A responsabilidade pelo reconhecimento de novas Sociedades Nacionais cabe ao CICV. Os estatutos do Movimento estabelecem 10 condições para o reconhecimento, que incluem o seguinte: a Sociedade Nacional tem de ser constituída em território de um Estado independente que seja parte da Primeira Convenção de Genebra de 1949, e tem de ter um estatuto autónomo na legislação interna permitindo-lhe obedecer aos Princípios Fundamentais do Movimento em todo o tempo.

Como Sociedade Nacional, de acordo com os estatutos do Movimento, a Cruz Vermelha do Sul do Sudão desenvolve uma ampla variedade de atividades humanitárias. Para além da gestão de desastres e cuidados de saúde, presta informação sobre os Princípios Fundamentais, a legislação que protege os emblemas da cruz vermelha e do crescente vermelho, a proteção que esses emblemas dão, e o direito internacional humanitário.

O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho é a maior rede humanitária do mundo. É composto pelo CICV, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e tem a partir de agora 189 Sociedades Nacionais. Cada componente do Movimento tem o seu próprio papel e identidade jurídica, mas todas são orientadas pelos sete Princípios Fundamentais: Humanidade, Imparcialidade, Neutralidade, Independência, Voluntariado, Unidade e Universalidade.