Guiné-Bissau: visita a prisioneiros a seguir a ataque a quartel
Sexta, 23 Novembro 2012 15:58

Entre 6 e 8 de Novembro, o Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) visitou 17 pessoas detidas na Guiné-Bissau após o ataque a um quartel militar perto da capital, Bissau, a 21 de Outubro.
O objectivo das visitas do CICV a pessoas em centros de detenção é para garantir que aqueles que estão detidos, seja qual for a razão, sejam tratados com dignidade e humanidade, de acordo com as normas e standards internacionais.
As visitas em Bissau foram realizadas de acordo com os procedimentos habituais de trabalho do CICV, nomeadamente através de uma conversa em privado entre os delegados do CICV e os detidos. “Nós partilhamos as nossas conclusões sobre as condições em que os detidos se encontram e o tratamento que estão a receber com as autoridades de detenção, de uma maneira confidencial,” diz Alec Guichard, um dos delegados que fez parte das visitas.
Um dos detidos enviou uma breve mensagem com notícias familiares à sua mulher, que vive no estrangeiro. Foram entregues kits de higiene aos 17 detidos.
O CICV encontra-se a trabalhar na Guiné-Bissau desde 1998, dando apoio a pessoas afectadas por várias situações de violência. Para além de providenciar apoio num centro de reabilitação física em Bissau e em três infraestruturas de saúde em São Domingos, com o objectivo de melhorar a prestação de cuidados de saúde. O CICV realiza estas actividades em cooperação com o Ministério da Saúde.