Filipinas: apelo de emergência para ajudar pessoas afectadas pelas cheias em Manila
Sexta, 10 Agosto 2012 16:05
philippines-floods main  

 

 

Após as cheias que submergiram grandes áreas da capital Filipina, Manila, a Federação Internacional das Sociedades Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (FICV) lançou um apelo de emergência de 768.033 Euros para apoiar a Cruz Vermelha Filipina a ajudar com assistência de emergência as comunidades afectadas.

Este apelo procura dar continuidade à provisão de itens alimentares e de outros bens de socorro, apoiar a prevenção de doenças e educação sanitária, providenciar apoio psicossocial às famílias afectadas e assegurar as necessidades imediatas de água das pessoas que permanecem nos centros de evacuação.

“O pessoal e voluntários da Cruz Vermelha das Filipinas deslocaram-se imediatamente para as áreas afectadas pelas inundações, evacuando residentes, distribuindo bens de emergência e prestando primeiros socorros,” disse Selva Sinnadurai, Chefe de delegação da FICV nas Filipinas.
“Embora as águas tenham recuado em muitas áreas, o número de mortes na cidade foi elevado”, refere ainda. “Quanto mais rápido respondermos, mais rápido as pessoas serão capazes de reconstruir as suas vidas e os seus meios de subsistência.”
Pelo menos 60% de Manila estava inundada após as piores cheias que o país sofreu desde a tempestade tropical Katrina ter devastado grandes partes do país há três anos atrás. Estes dias de chuva torrencial mataram 19 pessoas. Quase 2 milhões de pessoas foram directamente afectadas. Cerca de 290 mil desses afectados foram deslocados das suas casas e procuraram refúgio em centros de evacuação.
Desde o início das inundações, a Cruz Vermelha das Filipina mobilizou mas de 800 membros do seu pessoal e voluntários para apoiar os esforços de busca e salvamento e de socorro. Salvaram mais de 1.000 pessoas e deram assistência a mais de 8.000.
Primeiros Socorros, apoio psicossocial e assistência de ajuda de emergência foram algumas das acções levadas a cabo para apoiar as comunidades afectadas. Mais de 31 mil pessoas receberam pacotes alimentares de ajuda e outros 22 mil receberam refeições quentes nos centros de ajuda.
“O pessoal e voluntários da Cruz Vermelha têm um longo historial de trabalhar com comunidades afectadas por desastres e estamos bem equipados para dar apoio de emergência em Manila”, disse Joe Cropp, delegado de Comunicação da FICV.
Eles vivem nas comunidades que apoiam, por isso são os primeiros a responder quando o desastre acontece e têm uma maior motivação para ajudar no recobro das suas comunidades.”