Cruz Vermelha recebe Prémio Príncipe das Astúrias
Quinta, 14 Junho 2012 15:17

O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho foi ontem galardoado com o Prémio Príncipe das Astúrias de Cooperação Internacional de 2012.

O Prémio Príncipe das Astúrias é atribuído pela Fundação homónima a indivíduos, grupos ou instituições que trabalham nas áreas científica, técnica, cultural, social e humanitária; e o Prémio de Cooperação Internacional é conferido aos que fazem uma contribuição internacional significativa na saúde, educação, protecção ambiental e desenvolvimento social ou económico.

Tadateru Konoé, presidente da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, disse que estava honrado em aceitar o prémio em nome das 187 Sociedades Nacionais e dos 13 milhões de voluntários que trabalharam para ajudar e confortar pessoas vulneráveis em todo o mundo. "Através do nosso trabalho humanitário, pretendemos fortalecer a resiliência da comunidade, responder a desastres e promover uma cultura de paz em todo o mundo", disse ele. "Este reconhecimento é uma grande honra que temos muito orgulho de partilhar com os nossos parceiros do Movimento da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho".

Na acta, o júri destacou que a Cruz Vermelha é "uma das maiores redes humanitárias do mundo", com a missão de "prevenir e aliviar o sofrimento humano, proteger a vida e a saúde e fazer respeitar a dignidade das pessoas, especialmente em tempos de conflito armado e em situações de crises e de necessidade".

O júri valorizou o papel da organização "em conflitos armados como os da Síria, Líbia e Somália e em desastres naturais como os que atingiram o Haiti, Indonésia e Japão".

A Fundação Príncipe das Astúrias foi fundada em Oviedo, Espanha, em 1980. O prémio anual foi estabelecido para reconhecer notáveis realizações culturais, humanitárias e científicas.