Últimas notícias
Recolha de alimentos nas lojas Continente e Meu Super arranca dia 31 de março
Sexta, 24 Março 2017 15:52
 ra         

 

BENS MAIS NECESSÁRIOS

Enlatados de atum

Enlatados de sardinha

Enlatados de salsicha

Papas lácteas e comida para bebés

Grão

Feijão

Leite

Leite em pó

Cereais

Arroz

Massas

Azeite

Óleo

Sal

Bolachas

Café solúvel

Chá

Barras energéticas

De 31 de março a 02 de Abril
CRUZ VERMELHA PORTUGUESA E MISSÃO CONTINENTE PROMOVEM RECOLHA DE ALIMENTOS
A iniciativa decorre nas lojas Continente e Meu Super de todo o país
Os alimentos recolhidos revertem a favor de famílias sinalizadas pela Cruz Vermelha Portuguesa

A Cruz Vermelha Portuguesa e a Missão Continente associam-se para promover mais uma recolha de alimentos, que se vai realizar entre os dias 31 de março e 02 de abril, em mais de 400 lojas Continente e Meu Super de todo o país.

A iniciativa pretende recolher bens essenciais como enlatados diversos, leite, cereais, papas para bebé, entre outros, que serão entregues a famílias carenciadas, identificadas pela Cruz Vermelha Portuguesa através das suas delegações locais, de acordo com as necessidades mais urgentes.

A recolha de alimentos será apoiada por largas centenas de voluntários, que estarão nas lojas Continente a aconselhar os portugueses sobre os produtos que devem doar e a receber os contributos de todos os que quiserem participar.

O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa afirma que “as recolhas de alimentos, que se realizam periodicamente, são fundamentais para fazer chegar bens de primeira necessidade às famílias carenciadas, que estão identificadas pelas nossas delegações locais. O contributo dos portugueses e a participação da Missão Continente é, por isso, da maior importância para o sucesso da iniciativa.”

José Fortunato, presidente da Missão Continente, acrescenta que “as Recolhas de Alimentos são iniciativas fundamentais para sensibilizar e envolver as comunidades na Luta Contra a Fome e, por isso, é com um elevado sentido de compromisso que a Missão Continente se associa a estas iniciativas, na perspetiva de minimizar as dificuldades vividas pelas famílias carenciadas”.

Em 2016, as recolhas de alimentos promovidas pela Cruz Vermelha Portuguesa em parceria com a Missão Continente tiveram o contributo de cerca de 6.000 voluntários, que recolheram alimentos equivalentes a 385 mil refeições.

A Missão Continente é a marca que agrega todas as iniciativas de responsabilidade social do Continente e pretende contribuir para o desenvolvimento das comunidades e para a melhoria da qualidade de vida das populações.

 
Protocolo com Koala Rest por um sono de qualidade
Segunda, 20 Março 2017 11:47
 koala colchao          

A Koala Rest celebrou um protocolo de colaboração com a Cruz Vermelha Portuguesa e várias outras instituições de solidariedade social para a doação de colchões Koala.

Estas parcerias enquadram-se na missão da empresa para proporcionar um sono de qualidade um pouco mais acessível, também a quem mais precisa.

A Koala Rest é uma startup de e-commerce portuguesa que oferece aos seus clientes um colchão excepcional a um preço muito mais acessível do que o praticado no retalho tradicional.

Com o objetivo de proporcionar ao cliente os melhores materiais ao preço mais baixo possível, os colchões Koala recorrem a uma combinação de três camadas distintas de espuma, melhorando a respirabilidade, reduzindo o calor e, assim, mantendo os níveis de conforto.

A empresa removeu todos os custos com intermediários no processo de compra como lojas, rendas ou vendedores, transferindo, desta forma, a poupança para os seus clientes.

Conta ainda com entregas gratuitas diretamente em casa do cliente, podendo o mesmo experimentá-lo por um período de 30 noites sem compromisso.

Para mais informações sobre a Koala Rest:
www.koalarest.com
www.facebook.com/restedkoala

 
OPERAÇÃO FÁTIMA'17
Terça, 07 Março 2017 15:25
 peregrinos

 

 
(clique nos links acima)

Como nos anos anteriores, a "Operação Fátima” da Cruz Vermelha Portuguesa de apoio aos peregrinos vai decorrer sob a coordenação do Gabinete de Planeamento e Coordenação da área de Emergência, a nível nacional, de 1 a 12 de Maio.

Neste ano especial, de comemorações do centenário das aparições de Fátima e da visita do Papa Francisco, as estruturas locais e os voluntários da Cruz Vermelha encontram-se já em preparação para prestar apoio aos milhares de peregrinos que se vão deslocar ao Santuário por roteiros de Norte a Sul de Portugal, até ao dia 13 de Maio.
 
Durante estes dias, 28 Delegações e Centros Humanitários da Instituição vão estabelecer cerca de 43 postos por diversos percursos, envolvendo perto de 650 voluntários.
 
Nestes locais serão prestados diversos serviços, como cuidados médicos e de enfermagem, primeiros socorros, evacuação hospitalar, apoio psicológico, massagens, podologia e apoio logístico (espaços para descanso/dormidas, banhos, refeições, distribuição de águas e reforço alimentar).
 
Apoios
  • Centralcer
  • Farmácias Holon
  • Nutricafés
  • Gasin - Oxigenoterapia
  • Os Mosqueteiros
 
Inscrições abertas para Masterclass com Marian Volkman, especialista na intervenção em trauma
Sexta, 03 Março 2017 11:24

tir masterclass

No âmbito do trabalho que a Cruz Vermelha Portuguesa tem vindo a desenvolver na formação especializada na área da psicotraumatologia, anuncia-se a realização de uma Masterclass em Intervenções Práticas, com a presença de Marian Volkman, especialista de referência mundial na intervenção em trauma, no dia 29 de Março, em Lisboa.

Nesta iniciativa, e com o objectivo de partilhar a utilização do TIR - Traumatic Incident Reduction ao nível do trauma complexo e de outras técnicas ao nível da intervenção em crise, vão ser abordadas questões para uma intervenção prática. Para este efeito, estará também presente Bruno Brito, psicólogo especialista em Psicotraumatologia.

As vagas são limitadas, mediante o pagamento da inscrição no valor de 40€.

Local: Sede Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa, Jardim 9 de Abril, nº 1 a 5, Lisboa (junto ao Museu Nacional de Arte Antiga)

Horário: 29 de Março de 2015, das 10 às 17h30.

Para proceder à inscrição basta preencher o ​FORMULÁRIO ONLINE e enviar o comprovativo do pagamento para o email Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar


O Traumatic Incident Reduction -TIR é usado desde 1984; trata-se de uma abordagem utilizada de um-para-um, bastante estruturada e centrada na pessoa, para resolver de forma permanente os efeitos de trauma e do stress traumático, bem como as suas consequências negativas num curto espaço de tempo.

É uma ferramenta essencial para profissionais que lidam com vítimas de trauma, em situações de crise ou em acompanhamento continuado. A aplicação mais conhecida do TIR incide na resolução rápida de sequelas traumáticas, incluindo a Perturbação Pós Stress Traumático.

 
Cruz Vermelha presente na campanha "Ser Solidário" do Multibanco
Terça, 31 Janeiro 2017 11:39

A Cruz Vermelha Portuguesa vai integrar novamente a campanha "Ser Solidário" na rede Multibanco, a partir do dia 1 de Fevereiro de 2017 durante o período aproximado de um ano.

Assim, num Caixa Automático Multibanco, poderá efectuar o seu donativo para a CVP, bastando seguir os seguintes passos:

sibs  
  1. Introduzir o cartão bancário;
  2. Digitar o código pessoal secreto;
  3. Seleccionar "Transferências";
  4. Seleccionar "Ser Solidário";
  5. Escolher a entidade "Cruz Vermelha Portuguesa";
  6. Indicar o montante do donativo;
  7. Seleccionar opção de impressão (Talão ou Recibo);
  8. Digitar o NIF se seleccionar a opção Recibo;
  9. Confirmar a operação.

Os utilizadores têm também a opção de solicitar um comprovativo para efeitos fiscais. Para tal devem seleccionar a opção “Recibo” e introduzir o seu Número de Contribuinte. No final da operação, o talão comprovativo é valido para efeitos de apresentação no serviço de Finanças, estando o cabeçalho preenchido com os dados fiscais da Cruz Vermelha Portuguesa.

Este meio é disponibilizado pela campanha "Ser Solidário” da SIBS e dos bancos do sistema Multibanco, podendo ser suspensa a qualquer momento.


Nota importante
As doações monetárias são a melhor forma de ajudar as pessoas carenciadas ou vítimas de desastres, porque o dinheiro pode, de forma muito rápida e simples, ser transferido para qualquer conta bancária ou convertido imediatamente nos bens necessários, em qualquer parte de Portugal ou do mundo. Desta forma, a Cruz Vermelha pode usar o seu forte poder de compra para beneficiar o maior número de pessoas e ajustar a resposta muito rapidamente a necessidades e prioridades variáveis.

 
Dia Internacional dos Migrantes, declaração da Cruz Vermelha
dim1     

Declaração da Cruz Vermelha da União Europeia

Todos os migrantes têm direitos

Apelamos ao respeito pelos direitos dos migrantes em situação irregular

 

Bruxelas, 18 de Dezembro de 2016

No Dia Internacional dos Migrantes, o Gabinete da Cruz Vermelha da União Europeia incentiva os seus Estados-Membros a tomarem medidas decisivas para proteger a dignidade dos migrantes em situação irregular.

Os migrantes em situação irregular estão entre as pessoas mais vulneráveis na Europa. Contudo, muitas das suas necessidades não são abordadas, pois muitas vezes vivem na sombra da sociedade, com medo de serem detidos. Vivem clandestinamente, com frequência, e enfrentam dificuldades significativas no acesso a serviços básicos e assistência vital como é a assistência médica, educação ou apoio jurídico. "Apesar de ser difícil quantificar os números, sabemos que este grupo está a aumentar, como pessoas que desparecem da face da terra porque lhes é negado o direito de asilo ou optam por não submeter o pedido nos países de trânsito. Os nossos colaboradores estão preocupados com a crescente vulnerabilidade dos migrantes que encontram nos seus trabalhos", sublinha Denis Haveaux, director do Gabinete da Cruz Vermelha da UE.

As medidas destinadas a reduzir a migração irregular para e dentro da UE não devem esconder o facto de que todos os migrantes - incluindo os que estão em situação irregular - têm direitos fundamentais. O seu acesso à ajuda humanitária, aos serviços básicos e à protecção não deve ser negado. No entanto, as organizações da sociedade civil que se comprometem a responder aos migrantes, como as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha, enfrentam dificuldades em chegar aos migrantes em situação irregular.

Hoje, mais do que nunca, apelamos à UE e aos seus Estados-Membros a alterar qualquer legislação que complique ou mesmo proíba a provisão de ajuda humanitária aos migrantes. “Gestos de solidariedade e humanidade estão entre os mais positivos aspectos do património da UE. Devem ser comemorados.”, salienta Denis Haveaux. "É crucial que os líderes da UE permitam e encorajem a ajuda humanitária.”

Há muitas razões que justificam os migrantes a procurar entrar irregularmente ou cair em irregularidades num Estado-Membro. Os migrantes que estão em trânsito ou que ainda não solicitaram protecção internacional, podem encontrar-se numa situação irregular. A ausência de vias legais de acesso a protecção, em segurança, na EU, também, leva as pessoas a migrarem irregularmente. As Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha em toda a Europa têm vindo a observar o seguinte: muitos migrantes procuram rotas perigosas para chegar ao seu destino pretendido ou permanecem retidos em áreas remotas – onde têm pouco acesso a serviços e assistência.

"Os nossos colegas oferecem uma gama de serviços, incluindo primeiros socorros, rastreios, cuidados médicos e fornecimentos de emergência, tais como alimentos, água e itens de higiene. Prestam apoio a todos os migrantes, independentemente do seu estatuto jurídico. 

O principal desafio é ser capaz de contactarem com migrantes em situação irregular, especialmente nos pontos de passagem de fronteira e em detenção. Estamos extremamente preocupados pelas consequências humanitárias desta situação", diz Denis Haveaux.

   dim2

Actualmente, vários Estados Membros estão a alterar a sua legislação para restringir as condições de acesso à protecção internacional e ao reagrupamento familiar. Além disso, o crescente aumento da aplicação de critérios de acesso como parte dos procedimentos de asilo, está a empurrar os migrantes para evitarem o sistema de asilo, colocando-os frequentemente num limbo legal. Para pessoas cujo pedido de protecção internacional foi recusado, mas não podem ser devolvidas ao seu país de origem, devido a obstáculos concretos, práticos ou jurídicos, existe um risco elevado de cair em irregularidades. A UE e os seus Estados Membros devem trabalhar para facilitar o acesso destes migrantes a um estatuto seguro e digno.

Nos últimos meses, a UE e os seus Estados-Membros sublinharam a necessidade de reforçar o controlo de fronteiras e facilitar o regresso para reduzir a entrada irregular e a estadia dos migrantes. Enquanto os migrantes que tentam atravessar fronteiras podem ser agora menos visíveis, certamente não são menos vulneráveis. "Embora o retorno seja uma fase possível no processo de migração, ele só deve ocorrer quando puder ser feito com segurança e dignidade ", diz Denis Haveaux. "O cumprimento dos direitos fundamentais do migrante deve ser garantido."

 
Sede Nacional da Cruz Vermelha recebe 3.º lugar nos Prémios Healthy Workplaces
Quinta, 15 Dezembro 2016 15:11
hw   hw2

No passado dia 13 de Dezembro de 2016, a Cruz Vermelha Portuguesa recebeu o 3º lugar do Prémio Healthy Workplaces 2016 para as Médias Empresas, na sede da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP), em Lisboa.

Com os “Prémios Healthy Workplaces - Locais de Trabalho Saudáveis 2016”, a OPP pretendeu reconhecer e distinguir as organizações portuguesas com contributos notáveis e inovadores para a segurança, o bem-estar e a saúde (física e psicológica) no local de trabalho.

Na candidatura apresentada, a CVP demonstrou um forte empenho e uma abordagem participativa na gestão dos riscos psicossociais e da saúde ocupacional naquela que é a gestão localizada na Sede Nacional. E, com esta distinção, a Instituição pretende incentivar a replicação de ações que contribuirão para locais de trabalho saudáveis e motivadores por toda a Rede CVP.

De referir que a Cruz Vermelha Portuguesa é uma organização humanitária, que segue as orientações do Movimento Internacional da CV e cujo cumprimento da missão enquanto entidade humanamente responsável deve traduzir-se na atenção e cuidado com os colaboradores e voluntários.

Com este foco e mais 151 anos de existência, a CVP mantém-se disponível para a mudança, aceitação e integração de novos ritmos de trabalho, podendo, assim, ser embaixadora de boas práticas e promotora de locais de trabalho saudáveis, tanto junto da rede Cruz Vermelha (180 Estruturas Locais em Portugal), como da comunidade (dada a força da imagem de marca).

A CVP está empenhada na dinamização de ações de capacitação dos recursos humanos em gestão de stress; ações de teambuilding; competências de liderança eficaz e eficiente; prevenção de burnout e stress ocupacional; mantendo a importância e disseminando a metodologia utilizada centralmente para uma efetiva avaliação dos riscos psicossociais.

 
1ª edição workshop "TIR - Extended Aplication", 30/março-2/abril, Lisboa: inscrições abertas
Segunda, 12 Dezembro 2016 16:57

De forma a dar continuidade ao processo formativo na área do trauma, a Cruz Vermelha Portuguesa anuncia a realização do workshop Traumatic Incident Reduction- Extended Aplication (TIR-EA), que decorrerá na Sede Nacional desta Instituição, em Lisboa, entre os dias 30 de Março e 02 de Abril de 2017.

O TIR-EA pretende consolidar conhecimentos e habilidades adquiridas no primeiro workshop de TIR e, assim, adicionar um conjunto de novas ferramentas ao repertório do facilitador. Desta forma, vai proporcionar ao praticante a capacidade de enfrentar e resolver uma maior panóplia de dificuldades humanas e preocupações.

Os objectivos desta iniciativa passam, entre outros, por listar e descrever as técnicas para preparar um cliente que ainda não está pronto para TIR; analisar a teoria de técnicas de reparação; discutir o uso da TIR em situações de adição; descrever como o TIR é aplicado a situações de trauma complexo.

Clique aqui para obter informação mais detalhada sobre este workshop.

Além do aprofundar da técnica, os quatro dias de formação vão permitir o contacto directo com Marian Volkman, especialista na intervenção em trauma desde a década de 80 que tem estado em vários pontos do mundo disseminando a formação em TIR, sendo uma referência na aplicação da técnica em crianças.

O workshop TIR-EA será também dinamizado por Bruno Brito, psicólogo especialista em psicotraumatologia, contando também com a parceria com Applied Metapsychology International, entidade que certifica a formação.

As vagas são limitadas e sujeitas à submissão e ao pagamento da inscrição.

O valor da inscrição é de 400€, para quem se inscrever até 31 de Janeiro, e de 450€, para inscrições após esta data. Mediante solicitação, é possível fazer fraccionamento do valor da inscrição.

Para submeter a inscrição é necessário preencher a respectiva ficha de inscrição e enviá-la, junto com o comprovativo do pagamento por transferência bancária, para o email Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar


Para esclarecimentos adicionais, contactar:

Susana Gouveira, Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
Telefone 213913900, extensão 275
 
6ª edição workshop "TIR - Traumatic Incident Reduction", 2-5 fevereiro, Braga: inscrições abertas
Quarta, 07 Dezembro 2016 16:39

Na sequência das solicitações recorrentes do norte do país, o Gabinete de Apoio Psicossocial da Sede Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa vai realizar a 6ª edição do workshop Traumatic Incident Reduction (TIR), entre os dias 2 e 5 de fevereiro de 2017, na cidade de Braga (em local a definir).

Este evento formativo é realizado em parceria com a Applied Metapsychology International e orientação de Bruno Brito, psicólogo especialista em Psicotraumatologia.

O Traumatic Incident Reduction -TIR é usado desde 1984; trata-se de uma abordagem utilizada de um-para-um, bastante estruturada e centrada na pessoa, para resolver de forma permanente os efeitos de trauma e do stress traumático, bem como as suas consequências negativas num curto espaço de tempo.

É uma ferramenta essencial para profissionais que lidam com vítimas de trauma, em situações de crise ou em acompanhamento continuado. A aplicação mais conhecida do TIR incide na resolução rápida de sequelas traumáticas, incluindo a Perturbação Pós Stress Traumático.

Desta forma, este workshop tem um público estratégico bem definido: psicólogos, finalistas de psicologia, psicopedagogos, psicoterapeutas, enfermeiros, médicos, psiquiatras profissionais da área social e técnicos de apoio à vítima.

   tir cartaz

As vagas são limitadas, após avaliação dos requisitos dos potenciais formandos e mediante o pagamento da inscrição (300€) – valor este que deverá ser transferido até ao dia 25/1/2017.

Ficha de inscrição

Informação detalhada

A inscrição poderá também ser feita através deste formulário e só será validada após pagamento e envio do respetivo comprovativo.


Para informações e inscrições, contactar:
Daniel Oliveira, Delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
Telefone (+351) 253 208 870
 
 
Lojas Zara com projecto para dar nova vida útil à roupa usada
Quarta, 07 Dezembro 2016 15:24
 zara ok       

Como parte do seu compromisso social e ambiental, a Zara instalou contentores de roupa nas suas lojas de forma a ajudar os seus clientes a dar uma nova vida útil às suas roupas e, em simultâneo, apoiar quem mais precisa.

Assim, toda a roupa recolhida através da rede de lojas desta marca de vestuário é entregue diretamente à Cruz Vermelha, Cáritas, CEPF e Oxfam, a nível europeu. Estas organizações sem fins lucrativos vão encarregar-se de reciclar esta roupa, transformá-la em novos tecidos ou comercializá-la nos seus canais solidários para financiar os seus projetos sociais.

Em Portugal, a Cruz Vermelha Portuguesa é a beneficiária deste projecto #joinlife.

Actualmente, é possível encontrar mais de 300 contentores entre Espanha, Portugal, Reino Unido e uma seleção de lojas do China, Irlanda, Holanda, Suécia e Dinamarca. Em 2017, a Zara pretende instalar contentores também na Alemanha, França, Itália, Polónia, Grécia, Áustria, Suíça, Japão, EUA, Rússia, Coreia e Austrália, e continuará a trabalhar para que nos próximos três anos seja possível depositar a roupa para reciclagem em qualquer uma das suas lojas no mundo inteiro.

Para além desta iniciativa, a Zara doa os seus próprios tecidos que sobram e restos de corte têxtil para o desenvolvimento de novas fibras recicladas e investimento em projetos de inovação em colaboração com o MIT e a Lenzing.

Encontre aqui a loja Zara mais próxima

 
<< Início < Anterior 1 2 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL