José António Marques, fundador da Instituição

José António Marques nasceu em Lisboa em 29 de Janeiro de 1822 e faleceu nesta cidade a 8 de Novembro de 1884. Era filho de António Emídio Marques e Catarina d’Assunção Marques.

Concluiu o curso de Medicina na Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa aos 20 anos. Em 1842, por decreto de Agosto deste ano, foi nomeado cirurgião-ajudante e colocado no Batalhão de Caçadores n.º 30. Subiu os vários estágios da carreira militar, sendo, em 1851, graduado ao posto de Cirurgião de Brigada.

Destacou-se não só na sua vida militar, onde desempenhou lugares de destaque na Repartição de Saúde do Estado Maior General e no Ministério da Guerra, mas igualmente como jornalista – tendo sido um dos colaboradores de uma publicação altamente científica O Jornal dos Facultativos Militares. Escholiaste Médico –, e na carreira médica civil.

É autor de inúmeros trabalhos científicos. A sua memória Aperçu historique de l'ophtalmie militaire portugaise, apresentada no congresso de oftalmologia, em Bruxelas, em 1857, conferiu-lhe os títulos de Doutor em Medicina e Doutor em Cirurgia, concedidos pela Universidade de Bruxelas.

Representou Portugal em diversos congressos da especialidade de oftalmologia.

Por nomeação do Rei D.Luís I representou Portugal na Conferência Internacional realizada em Agosto de 1864, em Genebra, com a finalidade de se deliberar sobre a neutralização "das ambulâncias e dos hospitais, assim como do pessoal sanitário, das pessoas que socorressem os feridos e dos próprios feridos no tempo de guerra.”

Portugal, por intermédio de José António Marques, foi um dos doze países que assinou a I Convenção de Genebra de 22 de Agosto de 1864, destinada a melhorar a sorte dos militares feridos dos exércitos em campanha.

Regressado a Portugal, este médico organizou, em 11 de Fevereiro de 1865, a "Comissão Portuguesa de Socorros a Feridos e Doentes Militares em Tempo de Guerra", primitiva designação da Cruz Vermelha Portuguesa.

Pelos serviços prestados ao país e ao Exército foram conferidas a este célebre médico, fundador e primeiro Secretário-Geral da Cruz Vermelha Portuguesa, várias condecorações de que se destacam a Comenda da Ordem de S. Bento de Aviz, Grau de Cavaleiro da Ordem de Cristo e de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, Cavaleiro das Ordens de Leopoldo da Bélgica e de Carlos III de Espanha.

Bibliografia

  • Marques, Dr. J.A., Primeiro Relatório e Contas da Comissão Portugueza de Socorros a Feridos e Doentes Militares em tempo de Guerra. Periodo Annual Decorrido de 13 de Outubro de 1870 a 12 de Outubro de 1871. Elaborado Conforme as determinações da Mesma Commissão, Lisboa, 1871, 139 p.
  • Cruz Vermelha Portuguesa, Cruz Vermelha Portuguesa -1865 a 1925, Lisboa, 1926, 307 p.
  • Costa, Carlos Vences e, Centenário do Falecimento do Doutor José António Marques. Fundador da Cruz Vermelha Portuguesa. 1884-1984. Apontamentos sobre a sua Vida, Lisboa, 1984, 16 p.
  • Cruz Vermelha Portuguesa, Revista Informação, Ano III, Nº10, [Lisboa], 1984, 16 p.
  • Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Editorial Enciclopédia, Limitada, Vol XVI, Lisboa, Rio de Janeiro, 397- 398 p.p.

Para mais informações, contacte directamente o Serviço Histórico-Cultural na Sede Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa.