Campanha global "Proteger a Humanidade, Acabar com a Indiferença"
Quarta, 16 Setembro 2015 15:51

Nas últimas semanas temos assistido a cenas dramáticas ao longo da Europa com milhares de pessoas a chegarem diariamente às fronteiras à procura de segurança e dignidade. A Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho têm estado na linha da frente da resposta, distribuindo comida, água e artigos de primeira necessidade, e também ajudando a reunir famílias que foram separadas.

Embora 33% dos migrantes estejam na Europa, a migração é um fenómeno global que só irá intensificar-se devido às crises prolongadas, à extrema pobreza e às alterações climáticas.

A campanha internacional “Proteger a Humanidade, Acabar com a Indiferença” tem como objetivo promover a solidariedade e a empatia com os migrantes vulneráveis e apela à sua proteção como uma questão de responsabilidade coletiva.

A mensagem desta campanha assenta nos 7 Princípios Fundamentais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, apelando aos líderes governamentais e à sociedade em geral de todos os países onde os migrantes chegam, estão em trânsito ou de onde partem, para porem de lado os rótulos, recordando que esta situação é acima de tudo uma crise humanitária global.

A Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho convida os apoiantes desta causa a visitar o site www.ifrc.org/protecthumanity e adicionar a sua assinatura a uma petição online apelando ao tratamento humano das pessoas vulneráveis em movimento. Os subscritores também podem partilhar os seus pensamentos sobre a questão usando a hashtag #ProtectHumanity.

A petição será apresentada aos participantes na 32.ª Conferência Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, que decorrerá em Genebra em dezembro deste ano.

webbanner leaderboard static e 2-pt simples

O porquê desta campanha?
O número de pessoas que migram está em ascensão, ao mesmo tempo que aumentam as vulnerabilidades que estas pessoas enfrentam ao realizar estas viagens. Em face das crises prolongadas, da extrema pobreza e das alterações climáticas, este fenómeno mundial não será revertido tão cedo.

Nas últimas semanas, temos visto exemplos contínuos de como a dignidade e as vidas das pessoas em movimento podem estar em risco. Mais de 2.300 pessoas perderam as suas vidas na tentativa de cruzar o mar Mediterrâneo só este ano e 3.200 morreram no ano passado. Em 2014, em todos os continentes, quase 5.000 pessoas foram registadas como mortas, mas o número é quase certamente maior.

Nos países de origem, trânsito e destino, o risco para os migrantes vulneráveis de serem discriminados, humilhados e recambiados para trás é elevado. Demasiado alto. Os recentes acontecimentos na Europa têm mostrado que a solidariedade pode prevalecer, mas no geral, há uma tendência que mostra uma crescente indiferença e falta de empatia por aqueles que estão hoje no meio do nada, em busca de segurança e de um futuro melhor.

A campanha "Proteger a humanidade, Acabar com a Indiferença" é uma iniciativa global projetada para promover a solidariedade e empatia para com os migrantes vulneráveis, e também para chamar a atenção para a sua proteção como uma questão de responsabilidade coletiva.

twitter post open copy-pt